sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Obrigado 2011


E lá se vai...


Não sei se dá pra dizer que esse foi um ano que passou rápido, acho que foi mais intenso do que rápido.

Realmente já não somos os mesmos de janeiro passado...rs. A viagem pra Europa no início desse mês coroou bem todas essas mudanças. (Obrigado Música Minas)

Aprendi que o grande lance é se planejar e ir fazendo o que tem que ser feito a cada dia, sem se preocupar demais com o que não está ao alcance no momento, não tem como se relacionar com coisas e acontecimentos que estão nesse nível. O universo resolve.

Muito obrigado por tudo.


Que o próximo ano seja ainda melhor pra todo mundo.


Felicidades!!!


Fernando Persiano


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Espanha & Portugal


Entonces!


Nosso embarque de ida se deu nos últimos minutos do dia 30 de novembro de 2011, em meio a muita correria.

Tocamos na Fnac BH Shopping de 20 às 21 hrs e depois voamos para o Confins, deu certo.

A turma do programa Música Minas era de treze pessoas, nós, a banda Maracutaia S/A, Déa Trancoso ( Paulinha Pi, Edson Fernando e Felipe Joseba) e Juliano Jubão, que estava fazendo a produção.  

Chegamos na quinta à noitinha, fazia muito frio.

A Culturgal começou no outro dia, sexta feira (2), tocamos logo na abertura.
Foi um show case, forte e direto. Abrimos o  Liberdade com um sorriso no rosto!

Tirando algumas palavras que trocamos em espanhol e a emoção de estarmos tão longe apresentando algo tão íntimo, o show foi o mesmo. Deu até pra tirar a blusa de frio e mostrar as cores do disco, na hora esquentou.

O mais interessante foi se apresentar ao lado de tantos sons e artistas das mais variadas escolas musicais. Rolou muita coisa instrumental de lá, tradicional, coisas eletrônicas com poesia, uma pá de variedades. Bom demais tocar o nosso rock no meio daquilo tudo.

No sábado, tocou a Déa Trancoso e no domingo, o Maracutaia S/A, cada um com sua particularidade, o que na feira fazia toooda diferença. Fizeram bonito.

Antes de partimos pra Lisboa, tivemos um tempo pra conhecer Santiago de Compostela. Que cidade! Parecia que estavamos num cenário, as ruas de pedra, as catedrais, os músicos de rua, o comércio, os pubs, o misticísmo...

Entre ônibus, trens e metrôs, fizemos um pequena tour por Portugal até chegarmos à Lisboa no dia 7. Fomos recebidos pelo amigo e conterraneo Juninho Ibituruna, que nos levou pra dar uma volta na Av. Liberdade. Fomos a uma loja de instrumentos e voltamos pra passar o som.

O Arte e Manhã é um espaço cultural em Lisboa que vem se destacando pela qualidade artística do seu cast. Tem uma decoração super transada, quadros pintados, coisas artesanais, tem espaço pra poesia, worshops, e o público que frequenta é classe A.

Apresentamos o nosso show no primeiro palco. Foi a apresentação mais intimista que já fizemos desde o lançamento do novo disco. O Léo usou um set de percussão especialmente para a noite, em algumas músicas Paulo reforçou os tambores, em outras mandou ver nos teclados, os violões ficaram com Berna Dias, e eu com meu fender velho de guerra...rs... Foi um prazer!!!

Depois rolou o show da orquestra da casa, banda que o Juninho Ibituruna é o batera. Muito boa, uma big band que toca Pixinguinha, Noel, Chico, Jazz... Os portugueses adoram... hehe.

Fomos virados pro aeroporto, tudo em cima da hora. Exaustos e felizes!!!

Foi uma grande honra ter sido selecionado pelo programa Música Minas pra representar o estado e o país na Espanha e um imenso prazer ter convivido por uma semana com os agora amigos do Maracutaia S/A, Déa TrancosoFelipe Josepa, Edson Fernando, Paula Pi e Juliano Jubão.

Muito obrigado pela oportunidade!!!


Fernando Persiano



Obs: Abraços ao Thiago e Marcela Gandra, ótimo ter encontrado com vcs!!!

domingo, 27 de novembro de 2011

Europa

O Vitrolas foi selecionado pelo edital de Circulação Internacional do Programa Música Minas, pra tocar na Culturgal, em Pontevedra, Espanha.

Depois de uma semana tensa atrás de documentos perdidos e vencidos, já está tudo pronto.

Vai rolar tbem Lisboa, será dia 7 de dezembro, no Arte e Manha, gracias Juninho Ibituruna.


Mais notícias durante a semana.

Abração!!!

Fernando

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Freud Bar - O dia depois

Fazia menos frio que de costume, a casa estava movimentada e as mesas mais concentradas perto do palco. 

Depois de dois shows voltados para o repertório apenas do novo álbum, Liberdade, fizemos este mesclando com as músicas dos dois trabalhos anteriores. Agora já temos repertório suficiente pra isso...rs


Começamos com as raízes do blues Há dias e depois pulamos pra O que não se refaz, do trabalho atual. 

É legal juntar tudo, pra gente que está super envolvido, são momentos, arranjos e textos tão diferentes que imagino o quanto é visível pra quem assiste. Depois do show tivemos alguns feedbacks a respeito. Acho ótimo, a idéia é ir andando pra frente, isso é bom. 


De qualquer maneira, o básico foram as músicas novas, o som chegou bem, dentro do seu limite, e as pessoas estiveram atentas. O Loro, nosso ex-guitarra, estava lá e fizemos com ele duas músicas do Stones, clássico!

Fechamos a apresentação com Velha Vitrola e Olhos Pequenos, depois rolou um prazeroso bis com Vou em paz.

Pela primeira vez ao vivo, contamos com os cuidados  da Dani, fazendo a produção, foi ótimo!  É muito bem vinda!

Estaremos de volta no dia 3 de dezembro, provavelmente com novidades no roteiro do show.

Grande abraço e obrigado sempre!

Fernando Persiano






quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Vitrolas no Freud - Sábado 05/11/11

Pois é, dia 05/11 estaremos estacionando no Freud Bar.

Cada vez mais em dia com o repertório do disco novo, o show de sábado promente ser um prazer só, direto.

Natureza, rock and roll e bom atendimento, quem ainda não esteve no local, já é hora. No www.freudbar.com tem um mapinha facílimo.

Grande abraço e até lá.


Fernando


Obs: O álbum triplo Liberdade estará sendo vendido durante a noite, podem levar vinte reais a mais...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Programa FRENTE # 92


O Vitrolas participou da edição # 92 do programa FRENTE, apresentado por Henrique Portugal, pela rádio Uol.

Rolou uma entrevista com o Léo e também foi ao ar a música O Cisco. Muito legal.

Estão no programa: Los Porongas, China Ina, Dead Lover´s Twisted Heart e César Maurício.

Ouçam na integra!


Valeu!!!


Fernando

sábado, 8 de outubro de 2011

Lançamento álbum Liberdade - BH - O Dia depois

Quando cheguei ao teatro fiquei tenso, estréia do show aqui em Belo Horizonte, preocupação com o som, luz e tudo mais.



Fui o primeiro a chegar no camarim, já achando que estava atrasado, hehe... Mas rapidamente todos foram chegando, encontramos a turma do Los Porongas na porta ao lado, conversamos sobre nossos trabalhos e o quanto uma cidade inspira a arte. O papo estava bom!


Chegou a hora, palco!

Tocar no teatro é bem diferente de shows convencionais, o silêncio entre as musicas e durante o show é algo sensacional, pude ouvir tudo que estava acontecendo naquelas 15 músicas.


Porém enxergar a platéia com as luzes fica difícil, ainda mais pra um míope rsss...é como se olhasse para o escuro e foi assim que iniciei o show, mas rapidamente comecei a enxergar as pessoas!

Que bom ver rostos amigos que participaram desde o começo da nossa Liberdade!


O melhor do show, assim como aconteceu em GV, foi a gratidão das pessoas com a emoção compartilhada, com a nossa entrega!

O elemento sonoro marcante pra mim foi ouvir no retorno o som dos pianos, rhodes, cravo e hammond do Paulinho! Tempos que não escutava esse som tão redondo na caixa de retorno!

Algumas pessoas me perguntaram sobre o Loro, ele voltou a estudar no RJ, voltou ao mundo da arquitetura, foi a liberdade dele nesse momento, respeito e entendo! Gostaria de deixar um agradecimento especial a ele, meu irmão, como escutei do Fernando e achei bem pertinente, “você está nos obrigando a crescer e a superar o que achávamos impossível”

Até o próximo Liberdade!


Leo

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Lançamento álbum Liberdade - Teatro Atiaia GV - O dia depois

foto: Maiana Cavalcanti Felizardo
 
Foi com muito prazer que colocamos na rua o show Liberdade.

Vocês podem imaginar o que é ficar quase dois anos trabalhando e idealizando essas músicas, já não estava aquentando mais tocá-las em casa... rs. O disco chegou tbem, agora físicamente temos três cds.

Pois bem, o primeiro show acontecendo em GV, teve esse gosto de mostrar antes em casa, pros amigos, aquela coisa de quem viu o primeiro, o segundo, e agora o terceiro. Foi muito massa.


Tocamos o disco na íntegra. Pra mim e pra banda estava demais, o som rolando muito bem e o feedback gostoso. Foi a primeira vez que tocamos várias músicas. Então, Muito Obrigado, É o fim... Foi bem diferente da correria de tocar na noite ou em boates, até estranhamos o fato de estarmos nos ouvindo tão bem, o público também sentiu assim. Rolou um bate papo descompromissado, podemos apresentar as músicas, falar um pouco delas e do processo criativo do disco.

Depois do show descemos, assinamos alguns cds e ficamos por ali com o pessoal. Semana que vem será em BH, no teatro Klauss Vianna, o show fará parte do programa Oi Novo Som, da rádio OI FM, e contará tbem com a apresentação da banda Los Porongas, do Acre. Vai ser muito bacana.

Já estamos na pilha!!!

Obrigado à todos que se locomoveram até o Atiaia, foi ótimo!

Abraços e bom fim de semana.


Fernando Persiano

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Show de lançamento "Liberdade"


Que maravilha! Já é realidade!


Cores, músicas, discos, letras, sons... O disco saiu, agora é o show!

Estamos pegando pesado nos ensaios pra que corra tudo mais leve possível.

Será um prazer tocar o álbum na íntegra.

Os ingressos começarão a ser vendidos até sexta feira no site www.compraconexa.com.br e na loja "Cadência" tel 3276-2429.

Lembrando que o disco tbem está à venda no site do compra conexa.

Agora é a hora.

Até breve amigos!

Fernando Persiano

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Olhos Pequenos

Olhos pequenos mira o presente e o futuro.

Essa música serve de amuleto pra desbravar novos terrenos. É daquelas que jogam o camarada pra frente.

Pra mim é como a frase que pintamos na porta do estúdio Bulldogue, onde foi gravado o disco novo, "Burrice é fazer as coisas do mesmo jeito e esperar resultados diferentes" 

A canção é fruto de uma experiência com altos e baixos, tem um sinceridade ardida e uma nudez positiva.

Quando encaro algum desafio diferente que me gera tensão ou medo, lembro de Olhos, tá tudo ali. O disco é todo assim.

Sobre o processo de composição, afirmo que os dois refrões vieram enquanto eu andava pelas ruas de Sampa, tenho essa mania de trabalhar as músicas caminhando. Estava na rua Fradique Coutinho, no bairro Pinheiros, quando rolou o insight. O resto foi composto em casa.

Na gravação ela segue a mesmo estilo de O Presente, faixa que abre o álbum. Três vozes principais, cada uma com sua parte.

Não poderia ser outra pra fechar a trilogia.

Tudo foi dito sem vergonha e sem censura. Agora é colocar em prática e viver com menos ansiedade, apostando no dia a dia e na fé.

É isso!

Foi ótimo dividir cada história por trás das músicas, acho que ilustrou bem as emoções e nos deu a oportunidade de nós conhecermos ainda mais. Foi essencial.

Muito obrigado pelo carinho e uma boa caminhada pra todos.

Abraços!


Fernando Persiano.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

É o fim


Esta música é uma parceria com um velho e bom amigo chamado Fábio Antônio Leal ... o Fabinho!!

Fabinho foi guitarrista fundador da nossa Brick Heads, onde passamos todos, grandes e inesquecíveis momentos ... depois de um tempo longe dos palcos, retornou mostrando seu talento na banda Obeco, q nos trouxe grandes alegrias! 

Autor de "Meu Blues" e tantos outros acordes sensacionais, há um tempo atrás, praticamos o que durante longa data ainda não havíamos feito... uma canção juntos!!!

A história começou quando fui contemplado com uma letra que o próprio havia escrito, em um momento significativo na sua vida... li por algumas vezes e guardei bem guardado ... deixei acontecer como sempre acontece comigo ... que a inspiração viesse ... e veio logo!!

Lembro bem quando mostrei pela primeira vez... foi uma surpresa e foi massa ... estávamos em sua fazenda e ao lado havia uma fogueira de uns 2 metros(rs), churrasco e aperitivos, quando toquei trêmulo na sua guitarra ... ali ficamos por um bom tempo, entre brindes e palpites!! Tinha nascido uma nova canção!!!

Já no estúdio, passamos por várias versões ... com gaitas, slides, riffs cortantes, hammonds ..... e o q aconteceu? A música ficou como veio!!!!

Léo, nosso querido produtor, depois de muito pensar decidiu q eu a gravasse como nasceu... foi um desafio... assim como foi a primeira vez q musiquei uma letra, foi a primeira vez que gravei um violão e voz!!

O resultado foi que redescobri um antigo cara ali... um cara "violão e voz"... e foi com emoção, sinceridade, que depois de vários takes o Léo bateu o martelo e finalizou o dia ... tava lá o que ele precisava ... era o fim de "É o fim" !

Como o próprio nome diz, este momento sela de vez o desfecho de uma fase e dá início à uma nova pessoa ...  segura, agradecida, livre e pronta pra o que esta nova vida lhe oferecer... 

O fim está chegando e o início, bem próximo!!!

Valeu, amigo Fabinho!!!

Bjo grande nos corações!!!


Paulinho Rodriguez!!!


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Aquele Menino


Particularmente tenho um carinho muito grande por esta música... é uma das que mais me identifico, pela intensidade da harmonia e melodia crescentes, pela maneira como essa história de superação, amadurecimento, evolução, me faz refletir!! 

Poderia ser facilmente, a descrição de um grande momento na vida de qualquer pessoa e essa foi a hora em que o personagem se encontra livre de suas barreiras pessoais, pra dar esse passo tão importante... afinal, estamos falando de liberdade... aquela liberdade que vem de dentro!! 

E é aí que eu me lembro das crianças... pra mim, a melhor ilustração desse tema, o melhor resumo desse significado... exatamente por possuírem o dom natural de viver e demonstrar que são assim...  livres!!

Que sejamos todos assim, mesmo que não possamos voltar a ser quem éramos!!

Conheçam "Aquele Menino" no vitrolas.com.br !!

Um forte abraço,

Paulinho Rodriguez!!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Odisséia

Odisséia!!!

A fase q o personagem se encontra no disco azul, é perfeita pra q ele possa "revisitar" suas pendências. Num momento mais seguro e mais ciente do que a vida pode lhe proporcionar, ele "brinca" de uma maneira descontraída, com um relacionamento. 

Acho que eu sempre tive esse lado informal e satírico de abordar esse tema. A música meio que segue a linha das já conhecidas "Cadillac 59" e "Agora é Tarde", do primeiro e segundo discos respectivamente... 

Numa pegada mais rock, Odisséia vem se mostrando muito prazerosa de ser tocada... eu particularmente gosto muito das guitarras ardentes e slides rasgados... gosto mesmo!!! 

E é neste clima de válvulas incandescentes que eu convido todos pra esta viagem!!!

Bem vindos à Odisséia!!!


Saudações Calorosas!!!


Paulinho Rodriguez!!!

domingo, 11 de setembro de 2011

Então


Não imaginava que “Então” seria selecionada para o disco. A música foi composta em São Paulo. A influência já está no nome...rs

É um reencontro ao mesmo tempo doce e amargo com uma época, pessoas, situações...

Qdo gravei a voz, estive com a mente no colégio onde fiz o ginásio e o científico, o colégio Ibituruna. Visitei o pátio, o banheiro, as salas, senti o cheiro da cantina, vi as pessoas... tudo mentalmente...rs. Não preocupei com mais nada. Praticamente todas a músicas que gravamos, nos levam a algum lugar ou nos trazem sensações, a prioridade era sempre se deixar levar. As luzes estavam apagadas.


Na história do álbum, Então dá início ao último disco, “o azul”. 

A trilogia Liberdade, começa no passado e termina no presente. Aqui, já estamos chegando no discurso atual, o sentimento é de maior acomodação em relação a realidade, porém com aquela eterna sensação de que tem muita coisa ainda pra realizar... O tempo não para!


É uma das faixas que mais seguiu as estruturas da sua demo original. Há alguns dias, ouvi todas as músicas ainda só com violão e voz, como foram apresentadas. É bem interessante comparar com o que foi gravado, dá pra sentir a evolução da canção. Depois podemos dividir isso com todo mundo.

Já está disponível para download no http://www.vitrolas.com.br/disco-3?download=11%3Aentao

Abraços!

Fernando

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Corram


Corram, como sempre digo, foi a minha primeira contribuição nas composições da banda. É incrível como veio quando eu menos esperava...durante anos eu tentei compor alguma coisa que agradasse, mas foi quando me distraí que ela apareceu.

Lembro que eu estava deitado na casa dos meus pais tocando violão e assistindo TV. E num daqueles dedilhados despretensiosos ela nasceu. Ali mesmo vi que alguma coisa interessante havia surgido. Me dediquei àquele dedilhado pra que ele tomasse uma forma e durante meses executei aquela música instrumental antes de apresentar pra alguém. Quando resolvi mostrar, um a um, meus companheiros foram dando a forma atual e inesperada a essa canção que me orgulha cada dia mais.

Primeiro mostrei pro Paulinho, numa noite de festa em Nova Lima, chamei-o até o estúdio e toquei essa melodia diretamente na guitarra ....pura....O comentário dele foi que a música estava pronta e não precisava de letra. Era uma harmonia e melodia prontas para serem executadas.

Depois disso mostrei pro Fernando que também gostou muito e alguns dias depois me apresentou uma letra simples e profunda, falando de temas que já havíamos conversado e vivido ali naquela mata de Nova Lima. A busca por um lugar melhor, próximo a natureza e os animais. O Fernando também seguiu a linha do Paulinho, dizendo poucas palavras e deixando fluir ao máximo o instrumental realçando a cria original.

Quando tudo foi apresentado ao Léo, o produtor, ele viu ali uma trilha sonora de filme. Reafirmando a parte instrumental e colocando a sua bateria naquele mesmo clima, buscando dar sentido a fuga e correria dos animais. O Loro contribuiu com seus slides flutuantes e seu riff rockabilly no final que fechou tudo com chave de ouro.

Nada como ter parceiros confiáveis e talentosos pra transformar uma singela canção de um violão em uma obra que muito me orgulha. Obrigado amigos!

Com vocês: Corram!


Grande abraço,

Berna Dias

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Muito Obrigado


Muito Obrigado foi talvez a última música a ser composta para o novo disco. Quase se chamou A casa dos meus pais.

A letra é bem direta, e os elementos estão todos lá. A rua, o quarto, a foto, a varanda, o café com pão, o calor...

Num final de semana como o descrito na canção, meu pai estava com o Ipod ouvindo as gravações prévias do disco, quando natualmente passou pela música. Eu não tinha falado nada. Logo que a faixa terminou, ele já meio sorrindo veio perguntar pra quem foi feita a música...rs.

Foi massa, fiquei emocionado com a reação dele e depois quando mostrou pra minha mãe. Senti uma paz gigante ao presentea-los.

Muito Obrigado tinha um andamento em ¾ e era um tom abaixo. Na pré-produção, quando o Paulinho foi trabalhar os sons que ia usar, sugeriu uma modificação no arranjo e uma alteração no tempo, curtimos.


O Léo levou as execuções individuais para um lado que ainda não tinhamos ido. Tirou a bateria, e deixou os instrumentos flutuarem nas suas próprias melodias. A linha do baixo, tem uma onda com a melodia de Hava Nagila (um Satisfaction da música Judáica, rs ), a sacada foi proposital, tem tudo a ver.

Ficou ótimo, acho que todos tocaram de maneira fantástica.


Valeu!



Fernando Persiano

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Ela


Ela é uma delícia!

Sou adepto a um mundo dominado pelas mulheres. Cem por cento.

Quando era criança, ficava viajando naqueles desenhos dos super amigos, quando mostrava a ilha de onde veio a Mulher Maravilha. Um lugar   onde só existiam mulheres, as Amazonas ( lindas guerreiras oriundas das lendas gregas ), com aqueles saltos, shorts, super poderes, sensibilidade... Fascinante!

Acho que o mundo seria mais justo, menos ganancioso. Tô curtindo essa ascenção feminina nos papéis rotineiros.

Ela, a música, é o exercício de fechar os olhos, acalmar a mente e deixar vir todas as sensações, sentimentos, imagens, e cheiros que a mulher pode trazer. Acho que estão ali, todas as minhas informações desde o tempo em que mamava na minha mãe.

A primeira versão da canção, tinha a letra um pouco mais abstrata e menor. Na pré-produção, o Léo me instigou a descreve-la melhor, entrar mais, sentir, tocá-la... Foi maravilhoso, fui e voltei de mãos dadas...rs

Um brinde à mulher!!!

Bjs

Fernando Persiano

www.vitrolas.com.br

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Cisco

Considero "O Cisco" a música da virada do disco. Ao mesmo tempo que ela justifica alguns atos e posturas em relação ao que se viveu até ali, ela tbem afirma e dá motivos pra esses momentos. 

Acho que essa dualidade, tem a ver com o meu signo de gêmeos. Mas é sem dúvida um passo adiante, os psicólogos e terapeutas concordam comigo.

O Cisco “apareceu” enquanto eu tentava melhorar uma música que acabou ficando esquecida.

Foi num período em que registramos algumas idéias ainda em São Paulo, no quarto do Léo, isso em 2007. Gravamos umas quatro músicas de maneira descompromissada, toquei guitarra em uma, o Léo fez o baixo, e quem estivesse na sala vendo tv, era chamado pra contribuir, enfim, experimentamos coisas e direções que foram usadas nesse álbum. Foi de fato uma retirada de um cisco nos olhos, tanto musical, quanto em posicionamento de vida.

Pois bem, estavamos gravando uma onda meio tensa, meio lenta, meio samba chamada Mil Receios, já tinhamos feito o instrumental, mas faltava dar um aperto nas palavras.

Acabou que no meio dessa mexida, rolou uma outra melodia e nova letra em cima da harmonia da música já gravada. No final, os mil receios foram deixados de lado e o cisco foi arrancado. Saldo positivo...rs

Espero que curtam também!

Obrigado e até logo mais.


Fernando Persiano


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Liberdade

Estamos no segundo disco, "o verde".

Liberdade foi a música que mais deu trabalho pra fazer. Acabou por ser uma das mais simples de todas. Reflete uma transição mesmo, é como colocar uma armadura e sair.

Porém, essa simplicidade não veio tão fácil assim.

Em 2006, peguei com a minha cunhada, Carolina Lana, um poema pra musicar chamado Libertas Quae Sera Tamen. Já tinhamos feito essse tipo de parceria anteriormente, Querer, do disco Somos um Só, é uma delas.

Pois bem, tentei em várias ocasiões trabalhar uma música, mas não consegui fazer algo satisfatório, acabei deixando de lado.

Em São Paulo, quando já mexiamos nas composições do disco, surgiu a idéia de um coro nas ruas gritando o trocadilho Ô Liberdade que será também, Ô Liberdade que será também... Não é a tradução dos dizeres da bandeira mineira. Lembrei e voltei no poema da Carol, tentei encaixar o resto da letra, mas não deu. Tinha apenas o refrão.

Quando fomos gravar as demos pra escolher as músicas do novo álbum, eu já tinha feito uma segunda parte, mas que pra falar a verdade, não convencia muito não. Mostrei pro Léo, que concordou comigo. Gostou do refrão, mas o miolo ainda faltava. 

Ficamos uns meses testando opções, até versão em inglês apareceu. Mostramos pro pessoal, o Paulinho chegou a cantar, mas lá no fundo a gente sabia que não estava rolando ainda. A música já tinha sido escolhida como tema central e nome do discomas só existia o refrão...rsrs.

Já estavamos na pré-produção, mas letra e melodia não fechavam, chegamos a gravar a música na prévia toda instrumental. Como o Tom Jobim já citou aqui no blog anteriormente, música é 5% inspiração e 95% transpiração. Numa dessas veio o que estávamos procurando. A mais direta e menor letra de todas. rsrs

Na virada do ano joguei uma porrada de rascunhos fora.

O filme abaixo, foi feito no momento em que foi terminada a canção. É cantada ainda em tom baixo e silencioso. Existem sutís diferenças com a letra que foi gravada.

video

Era uma manhã chuvosa de setembro de 2010. Incrível, exatamente há um ano. Coincidênicia?!

Obrigado pela atenção, abrs

Fernando Persiano

Disponível no www.vitrolas.com.br

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Vou em Paz

Fechando o disco laranja vcs conhecerão "Vou em paz", q na minha opinião, não poderia estar em posição melhor... uma grande sacada do produtor Leo!!



É incrível como uma música pode dar várias possibilidades de interpretação p quem a escuta e foi muito legal ouvir depoimentos distintos sobre o q aparentemente sua letra pareça dizer... particularmente gosto muito disso, de ver uma pessoa "vestindo" uma canção ao seu modo... é o traje q lhe cabe naquele momento e é este o momento em q o personagem atravessa uma mudança de "cor" em sua vida, sua história reflete bem essa transição, uma viagem ao seu "eu" e sua libertação... é exatamente p onde ele vai depois dessa experiência... rumo à liberdade!!!


Convido todos p viverem essa passagem na qual o sujeito se desprende das dúvidas, das agonias e parte mais leve, levando consigo o conforto do que e de quem te fez bem!!!

Vamos todos em paz!!

Até o disco verde!!


Saudações calorosas, 

Paulinho Rodriguez

sábado, 27 de agosto de 2011

O que não se refaz

Das minhas contribuições, O que não se refaz é a mais antiga. Teve início pouco tempo depois que lançamos o segundo disco, Somos um só (2005).  Gosto do jeito como foi feita.

Na época, li um recorte de jornal, que falava de Gandhi, Lennon e outras personalidades pacifistas.  Num dos pensamentos citados na matéria, dizia para sempre nos despedirmos das pessoas com um sentimento e palavras boas, pois poderia ser a última vez. Na hora, tive a idéia de fazer uma música com o tema, mas deixei guardado.

Alguns anos depois, escrevi um poema parecido com a letra gravada, porém, falava no presente.

Ao trabalhar o texto na música, naturalmente adaptei palavras e mexi com o tempo da canção. As vezes tenho esse processo de musicar algo que já tenha escrito, a letra vem numa época e a música depois, acontece o contrário também. Outras vezes vem tudo junto, não tem regra.

Acho que todo mundo tem um pouco dessa coisa de ter vontade de refazer algo que não tem mais jeito.

Inicialmente ela tinha um clima blues, meio Juliana está indo embora, do primeiro disco. Existem três versões bem distintas, de épocas diferentes. Prefiro a que ficou, é claaaro! Depois a gente solta todas num pacote com raridades, demos e sobras de estúdio... rsrs

Mais um passo a favor da Liberdade!

Visite o www.vitrolas.com.br , e ouça também o que veio antes e virá depois de O que não se refaz.


Obrigado amigos!


Fernando Persiano

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Feliz Aniversário



"Feliz Aniversário"!! 


Essa é mais uma canção concebida em sampa e dentre outras, talvez a composição q tenha fluído mais rapidamente.

Passavam das 22hs... sentado à mesa da sala, navegava sem rumo na internet, escutando o assovio do vento na janela... quem tava em casa dormia, com exceção do Berna q passou por mim se despedindo p fazer um som no Opico, um barzinho próximo... foi quando me lembrei q depois de 0hs já seria aniversário dele e instintivamente peguei um papel e comecei a escrever sobre o tema... quando o texto ficou pronto, reparei q apesar de esperançosa, minha abordagem tinha sido triste, melancólica, existia alí um lamento, um sofrimento ao confrontar o passado com o futuro! 

Na verdade, São Paulo havia nos deixado um pouco desse jeito... apesar de termos uns aos outros e a presença constante de bons amigos, ainda assim, tínhamos dentro de nós um medo e uma solidão q a distância e a frieza da cidade exercia em cada um! Não deu outra, tava tudo dentro daquele texto!!!

Já empolgado com o resultado, peguei o violão e comecei a musicar... fluiu!!!

Quando o Berna voltou do bar, quase 3 da madruga, eu tava lá p juntar o útil ao agradável... esperando p parabenizá-lo e compartilhar a nova cria... foi demais!!!  

Tomamos umas cervejas e ficamos tocando e curtindo a nova música até deixar o cansaço bater... foi quando ele descobriu q "Feliz Aniversário" tinha sido feita especialmente p aquela data... era meu presente p ele!!!

Hoje compartilho com todos vcs!!! Espero q curtam tb!!!


Pra baixar - www.vitrolas.com.br -

Saudações calorosas e até a próxima canção!!!


Paulinho Rodriguez

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Não é só eu que sinto assim

Outra canção da safra paulista. Essa música é uma das que mais me emociona, é também a mais simples de todas.

Não é só eu que sinto assim, nasceu com o nome de Parte nua, mas na pré-produção recebeu seu batismo de fé.

Interessante que enquanto eu trabalhava na música, tinha na minha estante uma única visão, um marcador de livros com os dizeres” As coisas são como nós sentimos”. Perfeito!

Não lembro se foi terminada nesse dia, mas é outra daquelas que precisava ter nascido naquele momento. Depois de pronta, vi que refletia o sentimento de todo mundo da banda, fui só a antena receptora.


A primeira vez que toquei  Não é só eu que sinto assim, pros “caras”, foi no quarto da Pousada do guerreiro em Floripa, lembro do Léo falando com o Berna ou Paulinho, durante a execução “ Que música massa!” fiquei felizaço...rs

Gostei demais da gravação, ficou melhor que a do meu imaginário. O som de cravo, o violão de nylon, o Steel guitar ( cortesia do Jubão da banda Curved), o Precision e a batera pesadona! O Berna dividiu os vocais comigo, uma honra.

Já está disponível no www.vitrolas.com.br

Abraços e tudo de bom!

Fernando Persiano





segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O Presente

Oba!

É uma enorme satisfação dar início as conversas sobre as músicas do Liberdade. A cada faixa lançada no site um comentário aqui no blog. Abraços e divitam-se.

O Presente, como muitas das canções do álbum, foi composta no período em que morávamos em São Paulo, entre 2006 e 2009.

Veio num período em que um turbilhão de sentimentos estavam me consumindo e não eu sabia onde e como iam explodir. Acabou explodindo na letra, que apontou o que estava me incomodando no momento, o presente.

O Paulinho me ajudou na parte do meio, com letra e música. É uma espantosa prova de que no silêncio, podemos ter acesso a muito mais conteúdo sobre nós mesmos. A liberdade começa aí.

Quando mostramos pro Léo, ele deu uma pequena modificada na ordem das estrofes, trouxe o “É a vida como vai ?” que só aparecia lá na frente, pro início da música, o que deu muito mais força pra questão. Genial!

Foi uma das primeiras músicas novas a levarmos pro palco, ainda bem antes do lançamento. 

Está disponível no www.vitrolas.com.br

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Lançamento virtual do álbum Liberdade: 22/08/2011

É isso aí!

Dia 22 o site estará de novo no ar, www.vitrolas.com.br. 

Agora, com a função de se tornar o álbum virtual. Está quase pronto. Continuaremos com o blog e suas notícias diárias...
Liberdade!

Grande abraço.


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Vitrolas pré-lançamento Liberdade

Estamos quase lá!

Nesta sexta dia 19, vamos estar fazendo o pré-lançamento do álbum Liberdade em Gov. Valadares.

A noite não poderia ser mais especial.

Será em parceria com a Monalisa Jump Bar, numa festa Vip. Serão colocados convites na rua e com a gente tbem.

Provavalmente iremos pra cidade na quinta (18), pra fazermos um corpo a corpo com a galera e entregarmos os tickets

Podemos ir combinando pelo facebook, por email e por outros sinais...

Passem pra frente pois vai ficar bonito!

Até lá.

Fernando Persiano


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Freud Bar - O dia depois

Sim, deu certo.

Fui o primeiro a chegar ao Freud, tava rolando um Dvd do Eric Clapton, de 2001 e não estava muito frio.

Pouco depois os caras chegaram. A casa tava cheia, com vários amigos físicos e virtuais... Bem legal.


Como de costume, a passagem de som foi feita rápidamente um pouco antes do show. Passamos, fomos ao banheiro e começamos.

É engraçado como cada integrante tem uma percepção diferente em relação ao show. O que, e como cada um escuta, o que sentiu em cada música, se tocou ou não bem em determinadas partes. É sempre um história nova.

Pois bem, eu estava escutando um som muito gostoso, acho que o Léo e o Paulinho também, já Berna Dias, se queixou de ter ouvido nada de baixo e a voz ter chegado pra ele muito grave. Coisas de palco.

Começamos com Há dias, ainda naquele lance de estar regulando o som, tivemos de volta os solos de gaita de Paulinho Rodriguez. Deu liga, o pessoal gostou.

Seguimos com Juliana está indo embora, demos boa noite, e  apresentamos O Presente, faixa do disco novo, que vai estar na rede ainda esse mês.

Curtimos bem, tocamos umas vinte cinco músicas. Rolaram cinco que estarão no Liberdade, coisas dos outros discos, como A Rosa, Cadilla 59, A Nova, Velha Vitrola, anunciamos a vinda do Ringo a BH, com um quase A cappella de A Little Help from my friends, e destaco  tbem a duplinha Paulo e Berna, num violão e voz bluesly em Someday. Nesse show o Paulinho tocou violão em algumas canções.

Vamos fazer todo primeiro sábado do mês e estaremos sempre mostrando coisa nova, tanto nos formatos, como instrumentação. Quem esteve lá, não viu o Loro, que se encontra no Rio dando sequência ao curso de Arquitetura, por coincidência tinha uma cadeira vazia no palco a minha esquerda... No próximo, já teremos o Paulinho com cada som bacana de Harmond, pianos, cravos, fender rhodes, serão coisas novas que estaremos lançando pela net e em primeira mão ao vivo.


Maravilha! Muito obrigado pela atenção e pelos aplausos ao final de cada música.

Foi massa encontrar pessoas que acompanham o Vitrolas há tão tanto tempo, é demais fazer parte da trilha sonora das pessoas!

Bjs, abraços e boa semana pra todo mundo.

Fernando

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Vitrolas no Freud - Sábado 06/08/11


Ok! começamos o segundo semestre, agora oficialmente... 

Como parte da programação pra esse período, damos início aos shows que acontecerão no primeiro sábado de cada mês.

Essas noites serão recheadas de novidades.

Ainda em agosto, vamos fazer o lançamento virtual do Liberdade (notícias mais adiante), e essas apresentações serão fundamentais para o novo formato que vem aí... Será o nosso ponto de encontro, estaremos esperando todo mundo. Instrumentos afinados, e um sorriso na cara.

Quem não conheçe o Freud, já passou da hora de conhecer, facílimo de chegar e o ambiente é demais. No site tem o mapinha, a gente se encontra lá. www.freudbar.com

Boa semana e até logo.

Fernando

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Tem rock de sobra pra quem sabe rockear

Quinta passada (28), fomos ao Nelson Bordello assistir aos shows do Valsa Binária (foto) de BH e Nevilton ( PR).

O evento fez parte do mês de pegada, realizado em todas as quintas de julho pelo Coletivo Pegada.

Não conhecia nenhuma das bandas ao vivo, só pela net mesmo.

O Valsa, abriu a noite com um show rápido e efíciente. Curti pra caramba as músicas, os acordes e as letras, destaquei a Mais Bonita e Por esse lugar. Hoje ouvi com calma no site, massa mesmo.

Segundo o Rodrigo, o batera, foi meio que um aquecimento pro show de lançamento do primeiro disco, que será no dia 18 de agosto na sala Juvenal Dias, no Palácio das Artes, o cd está quase chegando e a galera tá correndo contra o tempo. É assim mesmo, fazendo acontecer. Vamos estar lá.

Um pouco depois foi a vez do Nevilton, uma das revelações do novo cenário brasileiro. O trio entrou cheio de gás, com uma porrada sonora e uma presença de palco diferenciada, espontaneidade total.  Também não conhecia ao vivo, pena que não pude ficar até o final. A banda segue em turnê pelo país, este mês estiveram em Brasília, Goiás, São Paulo e agora estão circulando em Minas, o site dos caras é o http://www.nevilton.com.br/. A capa do Ep é essa aí acima, legal né?

O Valsa Binária tá no http://valsabinaria.tnb.art.br/, confiram

Abraços e boa sexta.

Fernando Persiano

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Primeira audição do primeiro disco, o Laranja

Boas novas!

Ontem demos nossa primeira escutada no disco laranja, o primeiro da trilogia Liberdade. 


Foi realmente emocionante. Desde que gravamos, não tivemos muito contato com as "fitas".

Recebemos o link por e-mail e cada um ouviu em casa, agora temos lares separados, rsrs.

Não sei o que os caras passaram pro Léo, o produtor, que espera um feedback. É a primeira mostra da mix, e eu curti, achei bem pronta e clássica, passei uns micríssimos ajustes particulares, que serão estudados no retoque final, mas nem sei se precisa..rsrs. É aquela coisa, se perguntar pro Paul, se ele quer mexer no Sgt. Peppers, talvez ele resolva, dar um grau no baixo aqui e melhorar a voz ali...rs, ou seja, não tem fim, coisa de músico e de doido.

Porém, nós estamos quase livres.... Ô LIBERDADE QUE SERÁ TAMBEM!

Bem breve!

Abraços

Fernando Persiano

domingo, 24 de julho de 2011

Diamantina ( Armazém do Rosário ) - O dia depois

Nunca tinhamos ido à Diamantina!

Como bons mineiros, isso pode ser estranho, mas foi nossa primeira vez.
Valeu a pena.

Chegamos no início da noite e fomos recebidos pelo Samuel Falci que nos levou na casa do Vinícius (Armazém), onde acontecia um churrasco. Ficamos uns dez minutos e fomos pro trabalho.

Como muitos pontos em cidades históricas, o Armazém fica numa antiga senzala, com paredes ultra grossas e fortes. O peso de ter sido o que foi, não existe lá, o ambiente é leve e a energia muito boa, diferente de alguns lugares, onde o clima as vezes é pesadíssimo, não é o caso do Armazém, longe disso.

Passamos o som e fomos para casa ao lado, a dos senhores. Comemos, dormimos um pouco, demos uma voltinha rápida, e por volta de uma e meia da madruga, começamos a tocar.

Dias antes, já estavamos tendo um feedback positivo das pessoas, pelo facebook, muita gente conhecia a banda e o boca boca teve início. Foi massa.

Com a casa enchendo gradativamente, fizemos um show bem pra cima. Legal demais ver as pessoas cantando nossas músicas. Cadillac 59, A Rosa, A Nova, e Juliana, nos fizeram sentir mais em casa ainda. Abrimos e fechamos com Velha Vitrola, no miolo, botamos na roda alguns clássicos do rock and roll. Tudo pro bem. Rolaram uns três bis, que fizemos com muitíssimo prazer, é claro, depois descemos pra bater papo com o pessoal.

Devemos voltar no período das aulas, uma galera que mora lá e acompanha o Vitrolas, estava de férias, e se possível vamos chegar mais cedo, ou voltar mais tarde, pra conhecermos melhor a cidade. Pelo que vi, achei até mais bonita que Ouro Preto, que é outra jóia.
Belezas de Minas!

Agradeço à todos que estiveram com a gente.

Até breve.

Fernando Persiano

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Vitrolas em Diamantina - Sexta 22/07

Olás!

Como já diz o aviso, sexta feira estaremos chegando na bela Diamantina. O show vai ser no Armazém do Rosário.


Já estamos tendo um feedback bastante positivo do pessoal da cidade, a noite promete.


Um abraço a todos, até logo.


Fernando

domingo, 10 de julho de 2011

A vida é rápida, mas acontece devagar


O processo é lento e contínuo. Se desacelerar, volta tudo.

De repente, percebi que coisas desejadas tempos atrás, um dia escritas naquele esquecido caderno comprado no início de um janeiro bem passado, com metas e mudanças, estão aí , tomando forma e existindo.

Muitas peças precisaram ser encaixadas pra que esse presente e futuro próximo fossem reais. Eu acredito nesse encaixe, acredito mesmo, embora no meio do caminho, tenha minhas cotas de fraqueza. Afinal, quem somos nós pra termos controle dessas coisas, é muita pretenção.

É a base do sentimento em movimento. Isso pode ser levado de maneira leve, tendo a idéia de que a vida está acontecendo agora e será sempre um espelho das nossas ações, ou de um jeito mais imediatista, entrando em tudo como se fosse a última vez, sofrendo, suando de baixo do braço, ficando na defensiva, se descabelando por coisas que na maioria das vezes não vão acontecer e etc. Mesmo sendo um papo ultra batido, acho que a gente se mata mais do que vive, não deveria ser.

Good vibrations for everyone!


Abraços


Fernando Persiano

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Novidades para o segundo semestre

Novidades!

Neste segundo semestre, estamos preparando muita coisa que enfim será colocada em prática, o setor de planejamento está a todo vapor e a criatividade está cortando na alta.

Por hora, podemos comunicar que estaremos todo primeiro sábado do mês no Freud Bar 
A idéia, é ir fixando o ponto de encontro e apresentar novidades, tanto no repertório como no set de palco. Acredito que o show Liberdade vai ser lápidado ali.
 Estamos ansiosos!

As datas são 6 de agosto, 3 de setembro, 1 de outubro, 5 de novembro e 3 de dezembro.

Vamos nos falando...

Paz!

Fernando Persiano

domingo, 19 de junho de 2011

Show na Partenon - O dia depois

A resenha foi boa. Afinidades músicais e pessoais das bandas e do público presente, fizeram o clima ficar ainda ficar leve e solto.

O Cabrini, formado por Rodolfo Gusmão, Valderrama, Guizo e Lugão, abriram a noite. Confesso que chequei depois da apresentação, só ouvi os comentários, parece que foi muito bom, o Rodolfo gostou.

Já os Gramofônicos, vi tudo. Antes do show, o Túlio (batera), me lembrou que já fizermos uma dobradinha num janeiro passado desses aí, não lembrava...rs.
Curti o show, a banda tava redonda, e público tbem, porém senti falta de mais músicas próprias, é aquele velho dilema, foram três e pra mim foram os melhores momentos dos caras, parabéns.

Entramos por volta das 3 hrs da matina. Apesar do Paulinho estar meio doente, febril, cuspindo sangue e o Léo gripadaço, saí do palco muito satisfeito, todos saíram. Na hora H, a energia sempre melhora...hehe. Foi uma pequena prova e um grande passo.
Quem esteve na Partenon, notou a falta do Loro e sua guitarra. Gustavão, estava no Rio de Janeiro, cuidando dos preparativos para voltar aos estudos de arquitetura.
Foi um repertório pequeno e intenso, 17 músicas.
Valeu demais, obrigado ao Gramofônicos pelo convite...

Abraços e bom dia pra todos!


Fernando Persiano

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Vitrolas + Gramofônicos + Cabrini

Dia 18 o rock vai rolar solto em GV!

Afinidades à parte, tudo em prol de um bom som...

Acredito muito nesse encontro!

Mais informações durante a semana...

Novos abraços e até logo.


Fernando

Obs: Venda de ingressos:
33 99648787 / 88174588

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Amparo


Pode vir
Hoje eu sou o que você quiser
Eu deixo
A luz mais baixa  pra você gostar
 Sentir
A dança eu deixo seus pés escolherem
Eu sou aquele que veio fazer você feliz



Pode ouvir
Hoje eu sou o que você precisa
E te dou
a cópia mais fiél do nosso trato 
Eu sou
E a gente sabe bem quem somos nós
Ninguem pode se aproximar do nosso  fogo


                
          Fernando Persiano

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O fim de uma eternidade e o início de outra II


As paredes já começaram a cair. A sala já ficou vazia, mas as lembranças, estamos entupidos delas. Foram 10 anos desde que largamos as nossas bases e fizemos do Vitrolas a nossa casa, a nossa família. Por onde passamos, fomos nos modificando um pouco mais até chegarmos aqui. O fim de uma etapa e o início de outra ainda maior, onde colheremos os frutos do que plantamos nessa última década.

Ficam os momentos únicos que vivemos juntos nos quatro cantos por onde passamos. Fica uma amizade sólida e verdadeira, onde o respeito foi a grande virtude de cada um de nós. Ficam as grandes amizades que estiveram ao nosso lado durante todo esse tempo. E que dure para sempre...

Agora a Vila se desfaz, o Liberdade toma sua última forma e com ele o nosso manual de auto-sobrvivência. Vivendo o álbum como a gente viveu, conseguiremos trilhar mais fortes rumo ao que nos propomos no início dessa história.

Obrigado a todos que compartilharam com a gente desses 10 anos......a todos que acompanharam o dia a dia do Liberdade durante esses últimos meses. De uma forma ou de outra, a Vila esteve aberta a cada um de vocês pra vivenciar isso tudo com a gente.

Os próximos 10 anos prometem!.....Venham juntos!

Grande abraço,

Berna Dias

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Correria, correria...

Realmente o pau tá quebrando!

A mixagem do disco está a todo vapor.

Estamos contra o tempo. Vamos entregar a casa ainda esse mês + casamentos + terno + alugueis + burocracia + fiadores + comprovante de renda + trânsito pesado + novo show sendo bolado , cenários, cores, roteiro + lançamento + levantamento de parceiros + novo site sendo feito + a consultoria do Sebrae com mil novas metas a serem cumpridas + uma porrada de coisa que não cabe listar aqui...hehe

A vida acontece enquanto estamos ocupados fazendo outros planos...


Abraços a todos

Fernando

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Um abajur, um papel de carta e uma sandália vermelha.


Essa terra verde ao lado é um mofo só!
Deve estar a pelo menos uma década esquecida num quarto pouco iluminado e cheio de infiltrações, onde antes possívelmente vivia alguem.

Em meio a um cheiro forte e muito  entulho, chamavam a atenção nesse cômodo, um abajur, um papel de carta e uma sandália vermelha bem gasta, com a marca do pé da antiga dona, encardido na palmilha.

De perto, via se que a letra escrita na carta, era de mulher, possivelmente da moça que morava ali, e apesar do papel estar velho e rasgado, dava pra ler que era endereçado a uma tal Jussara.

Imaginei o dia em que o abajur foi comprado. A vitrine, o desejo, o dinheiro gasto, a luz, e a pouca luz que ele proporcionou, o que viu e deixou de ver.
Em que ano será que foi ?

E a sandália, que foi feita pra ficar roçando nos pés de uma mulher, humm... que sorte, né ? até onde pode ter levado essa moça ?  Será que ela tinha alquem ? e a Jussara? quem era ?  Onde estaria naquele exato momento a atendente que vendeu a sandália ? será que está feliz ?

Fiquei uns cinco minutos viajando. A noite imaginei mais um pouco, pensei até em fazer uma música, mas não aguentei, caí no sono.


Até breve.

Fernando Persiano